Do produtor rural para o Exército

 Produtos como hortaliças poderão ser comercializados diretamente entre produtores e as unidades militares (Reprodução / A Razão)

Os produtores da Agricultura Familiar de Santiago vão poder entregar produtos para as unidades do Exército Brasileiro dentro do Programa de Aquisição de Alimentos do governo federal (PAA). O processo está sendo articulado pelo Setor de Compras e Licitações da 1ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, Emater e Cooperativas da região.

De acordo com o chefe do escritório da Emater, Dairton Lewandowisk, a planilha dos produtos será entregue nesta semana e o período aquisitivo do Exército através do PAA é de julho de 2016 a março de 2017, mediante todas as condições adversas que cada produtor poderá ter que enfrentar na produção.

Através do sistema cooperativo e intercooperativo será possível suprir alguma eventual necessidade. As cooperativas da agricultura familiar que estarão participando são: Cooperativa Jeito Caseiro, de São Francisco de Assis (10 produtores); Coopersaf, de Santiago (15 produtores), Cooperativa Agrale São José, de Jaguari (uva e sucos).

Produtos como abóbora, açúcar mascavo, brócolis, agrião, amendoim, batata doce, cebola, cenoura, couve flor, laranja, alface, pão, peixe, tomate, mel, rúcula e temperos verde em geral, melancia e melão, estão entre os itens a serem entregues pelos produtores das cooperativas, somados aos integrantes das Associações dos Piscicultores e de Orgânicos.

Além da lista fornecida pelo Setor de Compras do Exército, é possível acrescentar outros produtos como: milho verde, salame colonial, melado, cucas e leite tipo C, por exemplo, que podem ser adquiridos pelo Exército.

Fonte: A Razão

Deixar um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.